PRODUTOS > MANUAL DO CONSUMIDOR

Manual do Consumidor

Existem medicamentos homeopáticos que são mais fortes do que outros?
Não é uma questão de mais forte ou mais fraco. Existe sim, medicamento adequado ao quadro clínico de cada paciente. O clínico seleciona o medicamento e a potência de acordo com os sintomas do paciente.

Deve-se acordar o paciente para dar o medicamento nos horários marcados?
Normalmente não se interrompe o sono durante o tratamento homeopático, a não ser que seja recomendação do clínico.

Durante o tratamento homeopático é proibido ingerir álcool, café, chá, etc?
Não necessariamente, a não ser que seja recomendado pelo clínico algum tipo de restrição em sua dieta.

Os alimentos interferem no tratamento homeopático?
Sim, não apenas no homeopático, mas em qualquer tipo de tratamento. Preferencialmente, os medicamentos homeopáticos devem ser tomados longe das refeições, a não ser que seja assim recomendado.

Por que os medicamentos homeopáticos não vêm acompanhados de bula?
O medicamento homeopático é indicado pelo conjunto de sintomas do paciente, respeitando sua individualidade. Somente o clínico homeopata está habilitado a fazer esta análise. Doenças iguais podem ser tratadas com medicamentos diferentes. A indicação e a posologia do medicamento homeopático dependem da prescrição médica, devendo, portanto, constar da rotulagem do mesmo desde que esteja determinada na prescrição médica.

O tratamento homeopático provoca efeitos colaterais ou reações adversas?
Pode ocorrer o aparecimento de sinais e/ou sintomas decorrentes da resposta ao medicamento. Neste casos, é importante comunicar ao seu clínico. É por isso que se deve evitar automedicação.

O tratamento homeopático é demorado?
Geralmente não, porém a resposta ao tratamento é  individual e, assim o tempo de cura é variável. Um bom exemplo de ação rápida dos medicamentos homeopáticos é sua utilização em casos agudos,onde sua ação restaura rapidamente o estado de equilíbrio da energia vital do paciente.

Posso trocar tabletes por glóbulos, líquidos ou papéis?
As formas farmacêuticas servem como veículo para os medicamentos.
A apresentação não interfere no efeito terapêutico do medicamento, porém é sempre aconselhável seguir a prescrição do clínico. Algumas circunstâncias determinam a opção: os líquidos são recomendados para os diabéticos ou para pacientes sensíveis à lactose; para os que têm restrição ao álcool, recomenda-se o uso de tabletes glóbulos ou papéis. Caso tenha preferência por alguma forma farmacêutica, o melhor é comunicar a seu clínico, para que, se possível, ele prescreva o medicamento na forma farmacêutica de sua preferência adequando a posologia.

O tratamento homeopático provoca efeitos colaterais ou reações adversas?
Pode ocorrer o aparecimento de sinais e/ou sintomas decorrentes da resposta ao medicamento. Nestes casos, é importante comunicar ao seu clínico. É por isso que se deve evitar a automedicação.

A Homeopatia trata todas as doenças?
Existem doenças que são incuráveis por  qualquer forma de tratamento,devido a lesões irreversíveis nos órgãos. Nestes casos, o que o tratamento homeopático pode fazer é melhorar a qualidade de vida do paciente.

Durante a gravidez e amamentação pode ser feito tratamento homeopático?
Sim, provavelmente será bom para o bebê. Mas, especialmente nesta época, só use medicamentos com orientação de seu clínico.

Se o paciente esquecer de tomar o medicamento em um ou mais horários, comprometerá o tratamento?
O horário de administração do medicamento é importante. Tome assim que lembrar, dando continuidade ao tratamento.

Há diferença entre Fitoterapia e Homeopatia?
Sim, A Fitoterapia é a forma de tratamento, que usa medicamentos de origem vegetal, em forma de cápsulas,tinturas,chá,etc. A Homeopatia utiliza medicamentos de origem vegetal mas também animal e mineral. Além disto, atécnica de preparo dos medicamentos é específica e totalmente diferente da empregada no preparo de fitoterápicos.

Pode-se tomar medicamentos alopáticos ou fitoterápicos durante o tratamento homeopático?
Para isso é indispensável que seja consultado seu clínico, pois ele é a pessoa mais indicada para avaliar a necessidade desta associação.

Fonte: Manual do Consumidor de Homeopatia – ABFH